Nelson Junior

Portos Azuis – Conhecendo Vento Verde: Reinos e Histórias

Continuando nossas andanças pelo vasto mundo de Vento Verde, nos deparamos com o que outrora foi um dos grandes reinos do passado, mas que agora é apenas uma lembrança em ruínas, com suas gloriosas torres e palácios caídos por terra e um povo sem liderança…

Conheçam Portos Azuis.


 

PORTOS AZUIS

(Lagoa, Gávea, Leblon, Ipanema, Copacabana)

Portos Azuis

Aquele que outrora já foi o mais belo reino humano, hoje é considerado reino apenas no papel.

Portos Azuis foi fundado no ano de 4200 por Felipe, o Domador de Mares, que unificou a maioria das cidades costeiras, formando um dos maiores reinos de todos os tempos.

 Após a Guerra da Sucessão¹ e a Revolta dos Bárbaros², quase 400 anos depois de sua criação, Portos Azuis ruiu definitivamente, deixando seu conglomerado de cidades sem governante e sem exército. Na época nenhum reino tinha poder para agregar estar terras, e seus povo teve que se virar com o que tinha. Atualmente clamar este reino para si é uma missão muito mais difícil!

ESTILO DE VIDA

Portos Azuis não tem mais cidades… tem pequenas fortalezas! Cada uma delas mantém um padrão social rígido, com os portões abertos para aventureiros, mas também com as lanças afiadas. A rigorosidade das leis e a aplicabilidade das mesmas varia de cidade pra cidade, sendo um reflexo da personalidade de seu governante.

Os governantes não são necessariamente nobres, podendo ser ex-aventureiros, chefes de guilda, loucos ricos, e até mesmo monstros fantásticos disfarçados! O que se encontra de comum nelas é, com certeza, uma milícia fortemente treinada e ricamente armada!

O POVO

Altamente desconfiados! Aventureiros de vários tipos e índoles rodam por Portos Azuis, por isso se você é um camponês aqui é melhor ficar longe deles e se concentrar no seu trabalho. Felizes aqui só os taverneiros e donos de lojas de armas.

Parece ser de Portos Azuis a origem do Santos Peregrinos³, que viajam através das terras espalhando sua mensagem de bem.

ALIANÇAS

Nenhuma oficial, obviamente. Tenha certeza de saber com quem o governante da cidade em que você está mantém boas (e más) relações.

GOVERNANTE

Nenhum. O gigantesco palácio que antes servia de morada para os antigos governantes hoje é território de Asa Branca, um dos últimos (se não o último) dragão em Vento Verde. Pouco se sabe sobre ele, além de que quase não deixa seu território e se alimenta dos pobres aventureiros que o invadem.

Atualmente duas pessoas poderiam reivindicar o direito de governar Portos Azuis, ambos da linhagem de Artur: Jonas, Líder da Ordem dos Cavaleiros e descendente de Arthas, e Simon, Visconde de Cruza-Rios e descendente de Laerte.

MOTIVOS PARA VISITAR

As histórias sobre tesouros perdidos em muitas das suas ruínas de templos e cidades são verdadeiras. As histórias sobre perigos inimagináveis à cada esquina também. Uma terra sem lei, tendo como único refúgio não tão seguro as suas cidades-fortalezas espalhadas pelo reino. Um palco perfeito para todo tipo de aventureiro, assim como para todo tipo de seres malignos que vejam na morte desses sua base para sobrevivência.

Muitos são os jovens ricos que se aposentaram cedo com os frutos dessas aventuras, mas 10 vezes maior é o número de mortos que tentaram.

INFORMAÇÕES ADICIONAIS

¹ Guerra de Sucessão – No ano de 4460 da 2ª Era, Anacleto, Regente de Portos Cinzentos (um pequeno porém rico feudo do extinto Reino de Terez), morre sem filhos. Inicia-se a Guerra da Sucessão entre os descendentes de Arthur e Bartolomeu (Portos Azuis e Jardim Santo).

² Revolta dos Bárbaros – Uma curta e violenta guerra, que terminou por inutilizar diversas cidadelas já avariadas na Guerra de Sucessão, incluindo Portos Azuis, que ruiu completamente e teve sua linhagem extinta.

³ Santos Peregrinos – Clã participante do grupo Graal RJ. Mais informações poderão ser encontradas no manual de jogo do Graal RJ, neste site e através dos seus participantes no encontros do grupo Graal RJ.

2 Responses

Page 1 of 1
  1. Forrest Kramer
    Forrest Kramer 14 de janeiro de 2016 at 9:45 |

    E pensar que outrora fomos considerados grandes foras-da-lei… Todos haviam ouvido falar de nós ainda que mal. A traição escarlate retornará para beber o sangue das costas dos incautos e desatentos…

    Reply
    1. Ciello
      Ciello 6 de março de 2016 at 3:15 |

      Oxi

      Reply

Leave a Reply